Leia essa semana:

 

Introdução

Resumo da Parashá

Mensagem da Parashá

Ierida Tzorech Aliá

Pais e Filhos

Maguen Avraham

Haftará

As aparências enganam

Histórias Chassídicas

O futuro nos espreita

 

O quão valioso é estar equilibrado?

Cozinha Casher

Quiabo Frito

Palavras do Rebe

Lição de Vida


Res

A Parashá (porção da leitura da Torá) desta semana é chamada de “Lech Lechá – Vá para você”. Em nossa última semana, nos foi contado sobre o fim de toda a criatura viva e a reconstrução do mundo após o Dilúvio de Noach. No final da porção, encontramos que o mundo novamente infringe seu pacto – do Arco-Íris no céu – provocando Hashem novamente com atos de idolatria e a conseqüente dispersão após o término da torre de Babel e o nascimento de Avram e sua prova no fogo. É aqui que começamos, com o tzivui da primeira aliá de nosso povo a terra de Israel:

A Parashá Lech Lechá inicia com o chamado de D'us a Avram, para que deixasse sua terra de origem e a casa de seu pai, sua posição de status e prosperidade, e viajasse à terra que Ele lhe mostraria.

Na chegada à terra de Israel com sua esposa Sarai e o sobrinho Lot, eles descobrem que a terra foi assolada por uma terrível escassez e por esta razão Hashem comanda-os para ir ao Egito por um breve período. Os egípcios imediatamente capturam Sarai, a quem Avram havia identificado como sua irmã, e a levam ao Rei Egípcio.

D'us reage afligindo o rei e sua família com uma peste debilitante até que a liberte, quando então eles retornam à terra de Israel cheios de presentes. Os pastores de Avram e Lot começaram a brigar e os dois decidem se separar, com Lot escolhendo as férteis planícies de Sodoma como sua porção.

A Torá então descreve a guerra infame entre os quatro reis e os cinco reis, durante a qual Lot é feito prisioneiro. Muitos são mortos devido a batalha e a fuga, porém há os que escaparam apesar de estarem presos em “área-movediça”.

A parashá aqui nos relata a iniciativa de Avram em salvar seu sobrinho Com a ajuda de D’us, ele derrota miraculosamente os quatro reis vitoriosos e salva seu sobrinho e todos os demais. Porém, Avram se recusa a ficar com as honrarias ou os despojos de guerra para si e traz uma oferenda a Hashem do dízimo através de Malki-Tzedek (Shem, o filho de Noach), Cohen da época em Shalem (futura Yerushalaim) .

D'us reafirma a Avram que Ele está a seu lado, e promete que seus descendentes serão tantos que serão incontáveis como as estrelas no céu. O Criador então entra na simbólica “Aliança Entre as Partes”, com Avram, prometendo que seus filhos herdarão a terra de Israel, mas não antes de serem exilados numa longa servidão - 400 anos.

Como eles não tem filhos, Sarai dá sua serva Hagar a Avram como esposa, e nasce seu filho Ishmael. Anos depois, D'us muda o nome de Avram (Abrão) para Avraham (Abraão), e o de Sarai para Sara, e o instrui na mitzvá, preceito, de brit milá, circuncisão.

A porção conclui quando Avraham na idade de 99, circuncida a si mesmo e a seu filho Ishmael, juntamente com os outros homens da família.

voltar ao início

 

Men

Ieridá Tzorech Aliá

Esta parashá inicia com o mandamento de Hashem para Avraham: Lech lechá meartzecha, "Sai de sua terra". Hashem está dizendo a Avraham para deixar a casa de seu pai em Charan e viajar para Eretz Israel Mas por que Hashem disse lech lechá? Por que Ele não disse simplesmente " lech – vá " ? 

Lech lechá pode ser traduzido: "Vá para você mesmo". Hashem não está somente instruindo Avraham para viajar. Hashem está dizendo a ele: Você agora está iniciando sua o período de jornada na sua vida. Você vai passar através de muitos lugares, viajando em muitos caminhos. Lembre, onde quer que você for – vá para você mesmo.

E qual é o sentido de “vá para você mesmo”?

Nosso real eu mesmo é a nossa neshamá, a qual quer servir Hashem, cumprir Seus mandamentos e sentir-se próxima a Ele. Então lech lechá significa que em todos nossas jornadas - onde quer que nós vamos e o que quer que façamos - nós realmente estaremos indo para nós mesmos, por nós mesmos. Nós estaremos ficando mais próximos do objetivo de servir Hashem e de nossas próprias neshamot.

Avraham entendeu as instruções de Hashem. Ele partiu com sua casa inteira para Eretz Israel, trabalhando tão duro que cada um de suas jornadas - e existiram muitas paradas - iriam trazê-lo mais próximo das metas de sua neshamá.

A Torá nos diz "E Avram foi e viajou para o sul". Rashi explica que o "sul" é o lugar que mais tarde iria se tornar Yerushalaim. Ali, rodeado pela santidade de Yerushalaim, Avraham poderia alcançar níveis muito altos.

Mas Avraham não permaneceu neste lugar santo por muito tempo. Logo ele se encontrou em uma jornada para um lugar que ele não planejou visitar: Mitzraim!  Você teria gostado de deixar a área sagrada de Yerushalaim, após se ter tal proximidade com Hashem, e descer para Mitzraim?

Mas Avraham sempre lembrou da instrução de Hashem: “Lech lechá”. Ele entendeu que se ele deveria viajar para Mitzraim, também isso era parte da jornada de sua vida. Existiram coisas que ele tinha que fazer, algum serviço para Hashem que ele tinha que completar lá em Mitzraim. Esta foi outra das jornadas de Avraham a caminho de si mesmo - para cumprir com o objetivo de sua neshamá servir Hashem.

Justamente como Avraham Avinu (nosso patriarca Avraham), o Povo Judeu está em uma jornada através de sua história que vai nos aproximar a meta de nossas neshamot: Servir Hashem Completamente. Assim como a jornada de Avraham para o Egito, galut é um passo para nossa meta. E quando nós percebemos este propósito e dedicarmos nós mesmos para HaShem, o destino de nossa jornada se tornará visível. E então, conduzidos por Mashiach, nós e todo o Povo Judeu retornaremos para casa em Eretz Israel.              

Adaptado do Likutei Sichos, Vol. V, Parasha Lech Lecha

voltar ao início

 

Pai

Maguen Avraham

"E você será uma benção"   Gênesis, 12:2

Alguém já se perguntou o por que da primeira benção da Amidá (reza silenciosa em pé, centro das três principais orações diárias) terminar apenas citando o patriarca Avraham?

O comentarista Rashi traz uma luz sobre o assunto. Ele começa explicando que de fato, embora nós falemos: "Elokei Avraham Elokei Yitzchak vElokei Yaakov", quando chegamos na conclusão dessa primeira brachá, nós somente dizemos "Maguen Avraham". E o Rav Shimon Shkop explica isto homileticamente. Ele explica que o "término" da benção se refere à geração final antes da vinda de Mashiach. Alguém poderia pensar que ela seria coroada com pessoas de grande estatura no assunto de "Avodá", o serviço de Hashem, marca registrada do Patriarca Yitzchak, e no assunto de Torá, a marca registrada do Patriarca Yaakov. Contudo, é a marca registrada do Patriarca Avraham, nosso Patriarca que veio a entender e servir Hashem por si mesmo, e também ensinou outros, fazendo-os acreditar em Hashem e servir a Ele, que vai marcar a geração que vai saudar Mashiach. Esta geração vai ver uma grande onda de "Baalei Teshuvá" – pessoas que retornaram ao caminho da Torá

voltar ao início

 

Haf

Avraham Avinu é conhecido como Haivri - o hebreu - o que significa "aquele que atravessou". Ele "atravessou", no sentido de ter mudado de devoto de ídolos á servidor do D’us Vivo.

Ainda que o resto do mundo esteja do outro lado, o hebreu - aquele que atravessou - se levanta e diz: "Pare de servir seus ídolos de madeira, dinheiro, poder e perceba que somente Hashem é D’us".

A tarefa do Povo Judeu tem sempre sido a de comunicar essa mensagem para o mundo. O profeta Isaías encoraja o povo a continuar a enfrentar seus problemas internos e do exílio e de resistir à apatia das nações.

Hashem prometeu que eventualmente eles prevalecerão, pois ainda que o Povo Judeu pareça fraco, insignificante e sem poder, eles sobreviverão aqueles que agora parecem ser invencíveis.

As aparências enganam

Não tema vermezinho (lagartinha) de Yakov…  se alegre no Senhor e seja louvada com o D’us de Israel.   (Yeshaiau, 41:14,16)

Para entendermos estes dois pessukim, devemos observar em primeiro o que nos diz o comentarista RADAK ao citar o Midrash Yelamdenu, o qual diz: “Por que Hashem compara Israel com uma lagarta? E a resposta dada é que ‘assim como a lagarta ataca os mais altos cedros somente com sua boca, assim é também Israel ao triunfar sobre seus inimigos somente usando a sua boca como arma’; i.e., através da Tefilá – Reza!

Com essa pequena analogia já podemos entender o início de nossos pessukim, porém e o final: “se alegre no Senhor e seja louvada com o D’us de Israel”?

Ao que o comentarista Metzudat David responde: Vocês se regozijarão na salvação de Hashem e ficaram orgulhosos no fato de que vocês puseram vossa confiança em HaKadosh Baruch Hu.

E aqui poderíamos acrescentar um ponto que nos parece pertinente: Da mesma forma que a lagarta é uma criatura simples e quase totalmente insignificante e ela sofre uma metamorfose e se transforma em uma borboleta, uma criatura de grande beleza. Assim também, nós esperamos a época quando o Povo Judeu sofrerá uma metamorfose, deixando de ser esse povo pisado e escarnecido por todos e se tornará em um belo exemplo para toda humanidade, admirado e respeitado e emulado por todos no Mundo Vindouro, onde sua verdadeira beleza e essência estarão revelados!                   Rav Pinchas Frankel

voltar ao início

 

Coz

 

Ingredientes

250 g de carne macia

3 tomates grandes picados

1 cebola grande picada

  óleo para fritar

1 dente de alho socado com sal

1/2 kg de quiabos miúdos e tenros

3 galhos de coentro ou outro

   tempero desejado

 

Preparo

Refogue a carne e a cebola no óleo. Junte os tomates e o alho, despeje 3 xícaras grandes de água fervente. Deixe cozinhar bem, em fogo brando. Enquanto isso, prepare os quiabos: lave-os bem e enxugue-os num pano seco. Quebre a ponta fina de cada um, separando aqueles cujas pontas dobrarem (são duros e não servem). Corte a cabeça dos quiabos escolhidos. Frite-os no óleo, corando-os de leve. Retire-os e coloque-os sobre papel absorvente. Coloque os quiabos no refogado de carne, juntando mais água. Deixe cozinhar, até que o caldo engrosse. Cinco minutos antes de servir, acrescente o coentro ou o tempero desejado. Sirva acompanhado de arroz

 

voltar ao início

 

His

 

O Futuro nos espreita

"E chamará seu nome Yishma'kel pois Hashem ouviu"   Gênesis, 16:11

Desde que HASHEM OUVIU, por que seu nome não é Shama'kel – a forma no passado?

E a resposta é que em verdade isto é uma alusão ao futuro. No final dos dias, os descendentes de Yishma'kel causarão ao Bnei Israel muita angústia, fazendo com que o Bnei Israel reze para Hashem.

Incorporado no nome Yishma'kel – Hashem escutará no futuro – está a promessa de que HASHEM OUVIRÁ nossas orações e nos salvará de suas maquinações.                          Rav Chaim Vital em Etz Hadat Tov – Tehilim 124

 

O quão valioso é estar equilibrado?

"Por favor (Náh) fala que você é minha irmã"   Gênesis 12:13

Nós traduzimos " Náh " neste passuk como sendo ‘Por favor’. O Rav Yitzchak de Volozhin traduzia este vocábulo como ‘AGORA’. Começando a se referir a você mesmo como minha irmã AGORA, logo que nós entramos em Mitzraim (nesse mundo de encobrimento e falsidade), e não somente quando inquiridos sobre nosso relacionamento. Caso contrário, há o temor de que alguém possa ouvir você se referir a você mesmo como ‘minha esposa’ e a notícia poderia se espalhar e alcançar os ouvidos de alguém que poderia querer afastar você de você mesmo!

voltar ao início

 

Rebe

 

Lição de Vida

"Lech lechá meartzechá umimoladetichá"   Gênesis, 12:1

A tradução desse passuk, o primeiro de nossa Parashat Hashavua, é: “Vá para você embora de tua terra e de teu nascimento”. Como sabemos que toda a palavra de Torá contem ensinamentos para todos nós, quanto mais a lição do passuk que inicia uma Parashá. Vejamos alguns ditos de nossos Mestres:

1. Vá embora, abandone “Lechá”, de possuir teus próprios interesses nessa vida, pois ela foi feita para cumprir a vontade do Borê Olam (Criador do Mundo) – Admor Dovid de Lelov.

2. Assim também, te distancie de "Artzechá", de tua aspereza terrena, de tua fixação material e das más características de teu lugar, para poder cumprir a vontade de teu Pai no Céu – Chazal.

3. Também, te distancie de "Moladetichá", de tuas características negativas com que você nasceu, pois sem sobrepujá-las, não terás força de te desenvolver completamente – Rav Yitzchak de Nesh'chiz em Toldot Yitzchak

Porém segundo o Kli Chemdá, “Lech lechá” – pode ser entendido como ‘Vá para você mesmo’. A força e fonte da alma de todo Bnei Israel está acima vinculada com Eretz Israel. Assim, quando alguém vai até lá, ele volta para si mesmo.

Já o comentarista Rashi explica que "Lechá" indica que seria para o benefício próprio de nosso Patriarca Avraham. Ao que o Admor Avrohom de Tchechinov em D'Avrohom Z'chusa explica: “Avraham – o paradigma da mitzvá de receber convidados (Achnassat Orchim) – ele mesmo experimentando os julgamentos e tribulações de um viajante, agora estaria capaz de servir as necessidades de viajantes muito melhor.”

Quem sabe se com um pouco de cada uma dessas lições podemos nos superar e alcançar uma vida melhor com sentido mais amplo e verdadeiro, reconhecendo nossas dificuldades e procurando avançar, como dizem nossos Sábios “Asse Lechá Rav uknê Lechá chaverPirkei Avot, Faz para você um Rav (mestre, mashpiach) e encontrará um verdadeiro amigo. Shabat Shalom!

 

voltar ao início