Leia essa Semana:

Introdução

Resumo da Parashá

Mensagem da Parashá

Carroça e Música

Haftará

Cuidado com a Vida

Histórias Chassídicas

Percepção

Cozinha Casher

Pudim de Leite

Palavras do Rebe

Onde está a alegria verdadeira?



Res

A Parashá (porção da leitura da Tora) desta semana é chamada de “Nasso” –Conte, Faça o Censo. Parashat Nasso é a parashá mais extensa de todo o ano, com 176 pessukim (versículos).

Nasso, em seu início, prossegue delineando as tarefas e responsabilidades das três famílias levitas - Guershon e Merari na porção desta semana, Kehat

A seguir, Hashem ordena a Moshe para purificar o acampamento, de forma a tornar-se um lar merecedor da Presença Divina (Shechiná), orientando todos aqueles que estão ritualmente impuros a ficarem fora do acampamento até se purificarem.

Na seqüência, a porção nos diz que se alguém confessa que se enganou ao reter a propriedade alheia, após ter jurado o contrário na corte, ele tem que pagar um quinto a mais do preço básico do objeto e trazer uma Oferenda de “Pecado” (Korban Chatat) para reparar sua transgressão. Caso o reivindicador tenha falecido e não tenha deixado herdeiros, os pagamentos são feitos para o Cohen.

Nesse ponto, a Torá descreve o processo a ser cumprido com uma Sotá, uma esposa que foi advertida pelo marido a não ficar sozinha com outro homem e mais tarde foi surpreendida, dando ao marido um bom motivo para suspeitar de adultério. Ela é levada ao Cohen no Templo Sagrado e, caso não admita sua culpa, recebe “água amarga sagrada” para beber, o que leva ao seguinte resultado: ou as águas estabelecerão sua inocência, removendo a dúvida de seu relacionamento com o marido e abençoando-a com filhos; ou as águas provarão sua culpa por uma morte miraculosa e terrível.

A Torá então descreve as leis do Nazir, uma pessoa que aceitou voluntariamente adotar um estado especial de santidade, geralmente por trinta dias, abstendo-se de comer ou beber qualquer derivado de uva, cortar o cabelo, e de contaminar-se através do contato com o corpo de alguém que morreu. Em seqüência, é relatado a forma e as bênçãos pelas quais os Cohanim abençoarão o povo.

A porção, então conclui com uma longa lista das oferendas trazidas pelos doze líderes das tribos, durante a dedicação do Mishkan para uso regular. O Mishkan é completado e dedicado no primeiro dia de Nissan, no segundo ano depois do Êxodo do Egito. Durante a comemoração, os príncipes de cada tribo doam um presente comunitário para ajudar a transportar o Mishkan, assim como uma doação pessoal idêntica de ouro, prata, animais e alimentos.

voltar ao início

 

 

Men

Música e Carroça

"Então Moshe entregou as carroças de touros para os Leviim... E para os filhos de Kehat ele não deu; já que o serviço sagrado era [responsabilidade] deles, eles carregaram no ombro". (6:6-9)

Se imagine sentado frente ao Credicard Hall. E temos uma orquestra está por tocar as notas conhecidas da 5ª Sinfonia de Beethoven: "tam, tam, tam, Tam... tam, tam, tam, Tam..." - e para seu horror, toda a orquestra toca um semitom mais alto do que Beethoven escreveu: "Bam!" O som é como alguém raspando suas unhas em um quadro negro, irritante e acima de descrições.

Música é algo imperdoável. Ela é limitada a um sistema fixo. Um pouco acima da escala, fora do sistema e nos afeta.

Sem dúvida, o músico mais grandioso que existiu foi o Rei David. No Salmo 119, David HaMelech elogia Hashem. Ele diz: "Seus chukim (leis que superam o entendimento humano) são para mim como músicas". Que emoção! O Rei David elogia Hashem ao expressar que os mistérios das leis Divinas - os chukim - cantaram para ele como músicas.

Apesar disso, o Talmud (Sota 35a) menciona que por causa desse sentimento, Hashem permitiu que o Rei David pecasse ao cometer um erro que uma criança de jardim de infância não cometeria. Um erro que levou a morte de Uzza, o filho de Avinadav.

A falha do Rei David foi trazer a Arca Sagrada para Jerusalém em uma carroça. A Parashá desta semana nos diz que a razão de Bnei Kehat não receber carroças de Moshe foi porque eles não necessitavam disso. Bnei Kehat carregavam a Arca Sagrada nos seus ombros. Ela nunca deveria ser movida em um carruagens.

Então o que não era apropriado no elogio do Rei David á Hashem que o levou a tal erro, e porque sua punição foi apropriada? O que músicas tem que ver com uma carroça ?

A palavra hebraica para carroça é "agalá". Ela é relacionada a outra palavra "igul", círculo. Todo oitavo essencialmente se repete. Música pode ser "a mais profunda das artes e profundamente abaixo das artes" (E.M. Forster), mas existe em uma estrutura finita. A nota fora da escala é uma impossibilidade irritante. Unhas em um quadro negro. Uma violação acima dos limites da esfera musical. Como um círculo fora do qual nada pode existir, música é um sistema fixo.

A essência do chuk, estatuto, é aquilo que existe fora dos sistemas que podemos entender. É infinitamente acima da compreensão humana, fora do limite de reconhecimento.

O Rei David, no seu nível, pensou que podia entender os chukim como se fossem músicas: "Seus chukim são para mim como músicas". Porém, músicas ainda que elogiem Hashem só podem existir na tonalidade finita musical.

Agora podemos entender porque ele recebeu tal punição. O Rei David falhou ao colocar a Arca Sagrada, a representação desse mundo de chuk, a sabedoria supranatural, em uma carroça . Ele tentou fazer com que viajasse em uma agalá, igul. Em um círculo. Na escala musical. Ele tentou fazer com que os mistérios infinitos do chuk viajassem no círculo deste mundo finito.

Talmud Sota 35, Rabino Moshe Shapiro de acordo com Rabino Yossef Brown

voltar ao início

 

 

 

Haf

Shimshon HaGuibor (Sansão, o Herói) foi o Nazir mais famoso do TaNaCh, portanto a Parashá desta semana, que descreve as leis do Nazir, é complementada com a história do nascimento de Shimshon.

Cuidado com a Vida

"... e agora, tome cuidado para não beber vinho ou intoxicante, e não comer nada proibido (para um Nazir), pois o jovem será um Nazir de Hashem do útero até sua morte".                            (Shoftim, 13:7)

As Pesquisas médicas têm provado que o feto é afetado quando a mãe inspira fumaça - i.e., quanto mais cigarros a mãe fumar durante a gravidez, maiores riscos terá o feto.

Não existe nenhuma quantidade que seja saudável, que não afete a criança. O melhor conselho é não fumar durante a gravidez (ou melhor ainda: não fumar nunca). Quanto mais cigarros a mãe fumar, mais perigoso será para o feto. Não somente fumar tem repercussões no feto, mas também o estado físico e emocional da mãe influencia diretamente o feto.

Portanto não deve ser surpresa que nosso estado espiritual também afeta o feto. Desde a concepção até o nascimento, pensamentos e emoções moldam a personalidade do feto.

Se quisermos que nossas crianças sejam sagradas, é importante começar a educação cedo - muito cedo. Muito antes de quando elas vêm para este mundo, já determinamos a matriz de sua espiritualidade. Quem somos - nosso nível espiritual - tem um impacto em nosso filhos até mesmo antes da divisão da primeira célula.

Maiana Shel Torá

voltar ao início

 

Coz

 

Ingredientes

Pudim

1 lata de leite condensado

2 medidas da mesma lata de leite

3 ovos

Calda

1 xícara de açúcar

Preparo

Calda:Em uma panela de fundo largo, coloque o açúcar. Leve ao fogo baixo, deixando derreter suavemente. Quando estiver bem dourado, junte meia xícara de água fervente e mexa com uma colher de pau. Deixe ferver até dissolver os torrões de açúcar. Forre com esta calda uma forma com furo central e reserve.

Pudim: Em uma tigela ou no liquidificador, misture o leite condensado, o leite e os ovos até formar uma mistura homogênea. Não há necessidade de bater muito. Despeje na forma caramelada e cubra com papel de alumínio. Asse em banho-maria em forno médio por cerca de 1h30.

Depois de frio, leve para gelar por cerca de 6 horas. Desenforme e coloque a calda.

 

voltar ao início

 

 

 

 

His

 

Percepção

"Que Hashem ilumine Sua face e seja gracioso com você..."   (Bamidbar, 6:22)

O maior transmissor de rádio da cidade pode estar soando a 50.000 watts, mas se o rádio do outro lado não estiver ligado, você não escutará nada.

No verso acima, "ser gracioso" significa ter graça nos olhos de outros. Mas surge uma pergunta - se Hashem ilumina Sua face para nós, certamente teremos favor nos olhos de outros. Então o que a brachá adicional de Hashem de ser graciosos - de nós dar favor nos olhos de outros - significa?

Podemos ter as melhores qualidades, mas elas podem não ser reconhecidas. Nossas boas qualidades podem viver como uma princesa trancada no topo de um castelo.

Quando Iossef estava na prisão egípcia, Hashem deu a Iossef graça nos olhos do guarda da prisão. Iossef é chamado Iossef HaTzadik - Iossef, o Justo. Iossef era a essência de santidade, mas Hashem ainda teve que lhe dar favor nos olhos do guarda da prisão.

Algumas pessoas não podem ver a virtude real de alguém, freqüentemente pensando no oposto. É necessária uma brachá especial para encontrar virtude nos olhos de outros - que seu rádio esteja ligado.

Deguel Machane Efraim

 voltar ao início

 

 

 

Rebe

 

 

Onde está a alegria verdadeira?

"Deixe que minha língua grude no meu palato se eu não te lembrar, se eu não lembrar de Jerusalém no auge de minha alegria"       (Tehilim, 137:6)

Essa é a fonte para a quebra do copo em casamentos. O que nos lembra que nossa felicidade não é completa enquanto o Beit HaMikdash não for reconstruído.

Outra dimensão acrescentada pelo grande sábio do Século Dezoito, o Rabino Yonatan Eibshitz de Praga, no seu clássico "Yaarot Devash" (Drush 14): “Se um judeu tiver conseguido tudo que seu coração almeja, ele escreve, é incumbente que ele lembre que ainda lhe está faltando o ingrediente mais importante para o sucesso enquanto ele não estiver em Eretz Israel, onde ele pode atingir satisfação completa.”

Com essas palavras, gostaríamos de desejar Mazal Tov aos noivos: Moshe e Perl !

 

 

 

 

voltar ao início